07/10/2009

Espaço Televisão ligado em:

A Fazenda 2 tem estreia confirmada para novembro
A Record tentou um acordo com retransmissoras de TV a cabo para transmitir A Fazenda 2 em pay-per-view, mas não obteve sucesso. As empresas temem perder assinaturas do BBB 10, que começam a ser vendidas em novembro. Nem na internet a Record está conseguindo espaço para comercializar o produto.

Sílvio Santos e Ronaldo juntos
Ronaldo – aquele mesmo que o Zina adora chamar – estará no programa Sílvio Santos, em um dos próximos domingos. O papo foi gravado na quarta-feira.

Sobrenatural é a nova dor de cabeça da Record
A série Sobrenatural, que o SBT está exibindo às 21h, está deixando Bela, a Feia em terceiro lugar, com médias de 6 pontos, enquanto o seriado atinge picos de 12. Se Sílvio Santos soubesse que a solução para a melhora de sua audiência estava jogada no meio da madrugada, já tinha escalado a série faz tempo.

Adriane Galisteu e Luciana Gimenez no Teleton; Gugu não sabe
Em outubro, dias 23 e 24, o SBT exibe o Teleton, maratona para arrecadar fundos para a AACD. As apresentadoras já confirmaram presença. Mas, e Gugu? O SBT disse que convidou, a Record disse que não recebeu o convite. Gugu disse que só vai se for autorizado. Será que irão liberar o menino de 3 milhões?

Bafafá entre Marília Pera e Aguinaldo Silva
A história é a seguinte: Marília Pera resolveu abandonar o barco da série Cinquentinhas (estreia em dezembro), escrita por Silva, depois de 17 cenas gravadas. Pura falta de profissionalismo – é a minha opinião e a do autor, que disse que não irá trabalhar mais com a atriz. O argumento usado por Marília é de que estava sendo coadjuvante na minissérie. A produção regravará as cenas com Maria Padilha.

06/10/2009

Cama de Gato é ótima para as 8

O primeiro capítulo de Cama de Gato foi ao ar ontem, e já está disponível para acesso na Globo.com. A novela é ágil, dinâmica, polêmica e fascinante para quem gosta de tramas rápidas, com temática moderna. O que, na minha opinião, é o público de novela das 7 e das 8, não das 6. A Globo colheu os louros com Paraíso, que frequentemente alcançava 30 pontos. Cama de Gato estreou com 24. Esta fuga de telespectadores é normal; o problema é acreditar que eles vão voltar. Foi assim com Negócio da China.

Porém, o horário das 6 é uma incógnita até hoje. Não se sabe muito bem quem são as pessoas que estão do outro lado da tela, se é que há uma maioria a ser definida. Pode haver uma mistura de públicos, que se separam em programas policiais, séries e jornalísticos.

O sucesso de Paraíso, na minha visão, aponta que o público das 6 é formado por donas de casa e senhores, que se interessam por novelas com temática rural. Mas é só um palpite, pois nem os experts em TV sabem. O público das 6 está inserido em uma nova realidade. Antes, às 18h, a família brasileira já estava em casa, pronta para assistir à TV. Hoje, às 18h, muitas estão trabalhando, presas no trânsito, em momentos de lazer ou, simplesmente, utilizando outras mídias.

Voltando à Cama de Gato, a história é muito bem escrita e, creio, a ideia da emissora é prender o público de Malhação. Mas, mesmo com um excelente trabalho, o tiro pode sair pela culatra, por puro erro de alvo.
E você? Viu a estreia de Cama de Gato? Se não viu, o que acha da estratégia da Globo em escalar novamente novelas contemporâneas para o horário? Opine.

Liga
Viver a Vida, da Globo. Manoel Carlos sabe escrever uma novela e, principalmente, construir personagens. Destaque também para a trilha sonora, com diversas regravações.

Desliga
No comercial do Expansão SP (no ar, obviamente, apenas para São Paulo). A propaganda, que tem Dan Stulbach em cima do mapa do metrô, termina com figurantes dançando em uma estação de trem. Você já viu isso no filme Quem Quer Ser um Milionário? Você já viu isso na abertura do Show da Gente, do SBT? Você já viu isso em dezenas de outros lugares? Só os publicitários é que não se cansaram disso ainda.

05/10/2009

Domingo é o novo calcanhar de Aquiles da Globo

Atende por “domingo” o novo calcanhar de Aquiles da Globo. O que, antigamente, se limitava a Faustão e Gugu, hoje jogam na arena Eliana, Pânico na TV, Domingo Espetacular, entre outros. Analisando os números do último domingo (4), a diferença de audiência entre as emissoras durante o dia é muito pequena.

Na parte da manhã, o Domingo Legal abre os trabalhos no SBT e disputa, a partir das 11h, com o Esporte Espetacular e com filmes na Record. O resultado foi 12 (Globo), 10 (SBT) e 8 (Record). Eliana segurou a vice-liderança, com 11 pontos (Record, 10; Globo 17). As tardes, muito por causa do futebol, dão um respiro à programação global e coloca a audiência de Faustão no alto. Vale lembrar que Eliana e Domingo Espetacular já ficaram alguns domingos em primeiro lugar, enquanto disputavam com Faustão.

O problema (da Globo) e a alegria (das outras emissoras) acontecem a partir das 20h, quando começam o Programa do Gugu, Programa Sílvio Santos e o Pânico na TV (às 20h45). Das 20h a 0h, o placar foi 18 (Globo), 13 (Record), 11 (SBT) e 9 (RedeTV!). O curioso é que as audiências variam pouco, mostrando que todos os programas têm um público cativo. Apenas o “zapear” do controle remoto é que afeta a audiência. Por isso, todos estes programas tiveram o seu momento de liderança no ibope neste domingo. Quando analisados separadamente, os programas crescem alguns pontos; o que leva a matérias como “Programa X na liderança”. Não que seja mentira, mas não corresponde à verdade absoluta.

Quem perde com isso é unicamente a Globo, que vê um dos ícones de sua audiência, o Fantástico, naufragando. Enquanto o programa esteve no ar deu 20 pontos, a menor audiência da história. Estes pontos não fugiram para outras mídias, e sim para outras emissoras. Foram 37 pontos que a Globo deixou de ganhar: Record (13) + SBT (10) + RedeTV! (12) + Band (2).

A concorrência hoje está mais forte do que nunca, e o domingo não é mais território dominante da Globo. Isso é saudável para o público, que recebe atrações diversificadas em sua casa e pode escolher o que mais agradar. Que esta guerra se alastre por toda a programação semanal.

Liga
No SBT Brasil. Carlos Nascimento deu ao telejornal a cara do SBT (o que, sim, é bom) e tirou o tom sisudo dos jornais exibidos no mesmo horário. Nascimento conversa naturalmente e moderadamente com os repórteres, faz brincadeiras com Karin Bravo (companheira de bancada) e informa de maneira clara e concisa.

Desliga
Fala Brasil, da Record. O telejornal é interessante, mas a obrigatoriedade das âncoras de SEMPRE comentar a notícia irrita. Conforme dito acima, esse recurso é bom quando usado com moderação, já que há notícias que não precisam de comentário.

02/10/2009

A história salva; o elenco, não.

Não concordo com as pesquisas que apontam que o fracasso de Bela, A Feia seja apenas por causa da história, mais conhecida que o Pelé. A novela, parceria da Record com a Televisa, tem problemas que vão muito além da trama que, aliás, faz sucesso no seriado americano Ugly Betty e fez na novela A Feia Mais Bela, exibida pelo SBT.

Na novela da Record, o grande erro é a protagonista Gisele Itiê. Nas adaptações exibidas no Brasil, Ana María Orozco (Betty, a Feia – Rede TV!), Angélica Vale (A Feia Mais Bela – SBT) e America Ferrera (Ugly Betty – SBT) entenderam o espírito da personagem: inteligente, sincera, agradável e, sim, charmosa e bonita (não fisicamente). Faltou bossa à Bela, de Itiê; a atriz carregou demais em trejeitos como a voz anasalada, a fala embolada e as costas arqueadas (detalhes que só transmitem fragilidade, característica que Betty não tem).


As subtramas também não disseram a que vieram. O núcleo infantil é completamente sem propósito, as crianças surgem sem história. Quem ainda segura a novela são Bárbara Borges e Simone Spoladore, atrizes experientes que souberam moldar seus personagens. No quesito audiência, a novela oscila entre 6 e 9 pontos, revezando na vice-liderança com as séries do SBT; aliás, boa concorrência no horário, já que são produtos reconhecidos mundialmente por sua qualidade. Vem aí, em breve, The Mentalist. Será uma boa guerra.


Erros acontecem em qualquer novela, e a Record faz muito bem em arriscar. A próxima trama da parceria com a Televisa será Sin Tetas No Hay Paraíso (Sem seios não há paraíso) – a assessoria não confirma. A trama conta a história de uma jovem de classe média que, por amor, ingressa no mundo do narcotráfico e da prostituição de luxo, para conseguir dinheiro para implantar próteses de silicone. Pelo ineditismo, tem tudo para dar certo, desde que as escolhas de elenco sejam boas e pautadas no talento.

E você? O que acha de Bela, A Feia? Comente!

Liga
Em Amor e Sexo. O programa é uma grande surpresa, e fala sobre sexo sem ser vulgar. Fernanda Lima contribui muito para manter o nível da atração. Destaque para o strip-poker, com famosos que não têm problema algum em falar sobre o tema.

Desliga
No Hoje em Dia. O programa, que já foi um dos melhores da televisão por discutir assuntos de interesse geral, caiu na vala da audiência fácil e apela para subcelebridades atravessando uma passarela(?). Inutilidade pura.